Na primeira parte deste especial, mostramos como o gerenciador de arquivos Windows Explorer mudou desde as primeiras versões do Windows. Além disso, revelamos alguns dos principais aprimoramentos como os atalhos para a execução de aplicativos a partir da Barra de Ferramentas do próprio Windows Explorer, a variedade de tipos de visualização tanto dos ícones dos arquivos quanto do conteúdo dos mesmos diretamente em sua janela e assim por diante.

 

Hoje, vamos entrar em mais alguns detalhes sobre esse software, que é praticamente a “alma” do Windows 7. Vamos a eles?

 


Sei que já abordei a possibilidade de se aumentar o tamanho dos ícones de arquivos dentro de determinada pasta, mas vale a pena se aprofundar um pouco mais nesse assunto. Repare na lista que se abre ao clicarmos no pequeno triângulo ao lado do ícone lá no alto da janela, do lado direito. A partir do item Ícones Pequenos, é possível ajustar com precisão o tamanho desejado para os ícones: é só arrastar o botão deslizante para cima para ver a mágica acontecer. O bom é que também dá para ajustar o tamanho deles ao se clicar com o botão direito no espaço em branco das pastas.

 


E por falar em clique com o botão direito, há uma série de funções “escondidas” pelo menu contextual (assim como é chamada a janelinha que se abre ao darmos um “right click”). O primeiro item, o Organizar por..., permite que os arquivos de uma pasta sejam ordenados de acordo com a ordem alfabética (Pasta), pela data de criação (por Mês ou Dia) ou por Classificação, caso tenha aplicado uma classificação por estrelas em seus arquivos (vamos falar sobre isso em um post no futuro, ok?). Clicando em Limpar Seleção, a pasta volta a exibir os itens por ordem alfabética.

 


Caso você opte por organizar as pastas e arquivos pelo mês de criação, a sua janela vai ficar com esse visual.

 


O item Exibir tem a mesma função do ícone que ajusta o tamanho dos ícones. Já o Classificar por... oferece um nível de organização mais sofisticado do que o Organizar por.... Enquanto este permite optar pela maneira de como os itens de determinada pasta serão exibidos, a opção de se classificar vai além ao incluir informações que estejam embutidas no conteúdo dos arquivos – como legendas, marcas de geolocalização em fotos e assim por diante. Mas como ainda não falamos sobre esse assunto, aplicação de informações complementares em arquivos, não haverá muita utilidade para essas funções. Por enquanto, só os itens Nome, Data, Ordem Crescente e Ordem Decrescente já podem ajudar bastante na organização. Em breve a gente explica tudo, combinado?

 


A diferença básica entre Agrupar por... e Classificar por... é que, enquanto este apenas muda a ordem dos itens de uma pasta de acordo com um critério determinado, o modo de agrupamento junta os arquivos e pastas em grupos separados por uma linha...

 


...e deixa o conteúdo da pasta com essa cara. Neste caso, foi escolhida a opção Tamanho. Ao se clicar sobre (Nenhum), as alterações serão desfeitas.

 


O item Compartilhar determina se alguém que esteja conectado à sua rede poderá acessar o conteúdo desta pasta. Caso você dê um clique com o botão direito em um arquivo ou pasta que esteja gravado nesta pasta maior, dá para compartilhar apenas ela com outro usuário e manter as demais privativas apenas para você acessar. Eis aí um outro tema bacana para um post no futuro, né? Vocês não perdem por esperar...  ;o)

 


E para finalizar, a função mais bacana do menu contextual. Ao passar o mouse sobre Novo, mais uma janela se desdobrará. Lá no alto há o tradicional item Pasta, o qual permite a criação de uma pasta vazia e tals. Mas logo abaixo estão atalhos muito úteis que permitem criar documentos vazios nos mais diversos formatos: Word, Excel, Bloco de Notas, OneNote e por aí vai. Ou seja, nem é preciso abrir esses softwares para criar um documento, planilha ou mesmo apresentação do PowerPoint.

 

É claro que não falamos de alguns itens, mas isso ocorreu por não acharmos que era preciso. O Desfazer..., por exemplo, vai desfazer a última ação que tiver feito na pasta – neste caso, havíamos mudado o nome de uma pasta, por isso estava escrito Desfazer Renomear.... Ah, e reafirmamos aqui o compromisso de dar continuidade a este especial, quando vamos abordar a aplicação de informações complementares nos arquivos e o compartilhamento com outros usuários, ok? E se vocês tiverem alguma sugestão, mandem pra gente por meio de nossos canais do Twitter e Facebook. Até mais, galera!